top of page
  • Ana Nunes

A Cartografia do Tempo de Magalhães e a Questão das Molucas, artigo Joaquim Gaspar

Passados cinco séculos sobre a viagem de circum-navegação de Fernão de Magalhães e Sebastian Elcano, e esfriadas há muito as emoções nacionalistas e implicações políticas, é agora possível analisar os acontecimentos históricos com o necessário distanciamento. Poder-se-ia supor que tudo já foi descoberto e interpretado, mas não é assim. Há aspectos técnicos e científicos que não foram suficientemente ponderados e cujo aprofundamento poderá ajudar a desfazer algumas perplexidades que ainda dificultam a interpretação dos factos históricos. É o caso da cartografia náutica. Na primeira parte deste artigo passarei brevemente em revista a génese e evolução da cartografia portuguesa de meados do século XV até à preparação da viagem de Magalhães e Elcano. Irei deter-me com algum pormenor em dois aspectos normalmente ausentes na historiografia: nas inovações introduzidas pelos portugueses na cartografia náutica e nas características geométricas das cartas daí resultantes. Estas matérias estão na base de mal-entendidos e falsas interpretações, quer pelos protagonistas do passado quer pelos historiadores do presente. Um desses mal-entendidos diz precisamente respeito à localização das Molucas, fonte do valioso cravo e razão principal da viagem de Magalhães e Elcano. Na segunda parte do artigo, irei deter-me especificamente sobre a representação das Molucas na cartografia náutica, antes e depois da viagem.




A_Cartografia_do_Tempo_de_Magalhaes_e_a
.pdf
Download PDF • 1.75MB

16 visualizações
Highlights
Caverio Planisphere
Caverio Planisphere

press to zoom
Pietro Vesconte
Pietro Vesconte

press to zoom
Ocean Atlantique
Ocean Atlantique

press to zoom
Caverio Planisphere
Caverio Planisphere

press to zoom
1/5
Recent Posts
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page